segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Características dos efeitos biológicos das radiações

São elas: a especificidade, o tempo de latência, a reversibilidade, transmissibilidade, dose limiar e a radiossensibilidade.

- Especificidade: 

Os efeitos biológicos das radiações podem ser provocados por outras causas que não são as radiações, isto é, não são característicos ou específicos das radiações ionizantes. Outros agentes físicos, químicos ou biológicos podem causar os mesmos efeitos. Exemplo: O câncer é um tipo de efeito que pode ser causado tanto pelas radiações ionizantes como por outros agentes. 

- Tempo de latência: 

É o tempo que decorre entre o momento da irradiação e o aparecimento de um dano biológico visível. No caso de dose de radiação alta, esse tempo é muito curto. Os danos decorrentes da exposição crônica, doses baixas com tempo de exposição longo, podem apresentar tempos de latência da ordem de dezenas de anos. O tempo de latência é inversamente proporcional à dose de radiação.

- Reversibilidade:

Os efeitos causados pelas radiações ionizantes podem ser reversíveis. A reversibilidade de um efeito dependerá do tipo de célula afetada e da possibilidade de restauração desta célula. Existem, porém, os danos irreversíveis como o câncer e a necrose.

- Transmissibilidade:

A maior parte das alterações causadas pelas radiações ionizantes que afetam uma célula ou um organismo não são transmitidos a outras células ou outros organismos. Devemos, porém, citar os danos causados ao material genético das células dos ovários e dos testículos. Esses danos podem ser transmitidos hereditariamente por meio da reprodução.

- Dose Limiar:

Certos efeitos biológicos necessitam, para se manifestar, que a dose de radiação seja superior a um valor mínimo, chamada de dose limiar. Temos também os efeitos que não necessitam de uma dose mínima para se manifestar. Como exemplo podemos citar a anemia cuja dose limiar é de 1 Sv (1 sievert) e todas as formas de câncer que teoricamente não necessitam de um limiar de dose. 

- Radiossensibilidade: 

Nem todas as células, os tecidos, os órgãos e os organismos respondem igualmente à mesma dose de radiação. As diferenças de sensibilidade observadas seguem a lei de Tribondeau-Bergonier (lei da radiossensibilidade das células) a qual diz: a radiossensibilidade das células é diretamente proporcional a sua capacidade de reprodução e inversamente proporcional ao seu grau de especialização. Por exemplo a pele e as células produtoras do sangue. 




Fonte: Noções Básicas de Proteção Radiológica (IPEN).  



segunda-feira, 29 de abril de 2013

domingo, 28 de abril de 2013

O uso de scanners nos aeroportos dos EUA é criticado pelo público

A Administração de Segurança dos Transportes (TSA), por decisão judicial emitida há quase dois anos, começou apenas neste ano a solicitar a opinião pública sobre o uso dos scanners (equipamentos de raios X) nos aeroportos americanos para inspeção corporal de segurança nos passageiros. 
Uma pesquisa vem sendo realizada e mais de 500 pessoas já foram ouvidas até agora, a maioria das opiniões é altamente negativa. A pesquisa vai até o dia 24 de junho.
Foi exigido por uma lei federal que agência de segurança buscasse a opinião pública antes de usar os scanners como triagem principal nos pontos de controle dos aeroportos. 
Em 2010, o Centro de Informação sobre a Privacidade Eletrônica, um grupo de defesa, entrou com um recurso para bloquear o uso de scanners corporais, argumentando que as máquinas violavam os direitos constitucionais dos passageiros. O Tribunal de Recursos dos EUA para a Comarca do Distrito de Colúmbia, em uma decisão judicial em 2011, não considerou legal a tecnologia dos pontos de controle, mas ordenou a TSA "agir imediatamente na busca da opinião pública, observando a privacidade, a segurança e a eficiência" dos scanners corporais.

Aparelho de scanner corporal no aeroporto internacional de Los Angeles. 



Imagens captadas por um scanner corporal. 



Fonte: The New York Times (com adaptações). 



quarta-feira, 17 de abril de 2013

A Espectroscopia Cerebral por Ressonância Magnética

É uma técnica que avalia a concentração de importantes marcadores neurológicos, este exame realiza o mapeamento das concentrações dos metabólitos cerebrais. Permite a medida quantitativa dos hidrogênios ligados às moléculas dessas substâncias. Os tipos de metabólitos pesquisados são: o N-acetil aspartato, a colina, o mioinositol, a colina, o lactato, o glutamato e a cretinina que são substâncias fundamentais para as funções fisiológicas do sistema nervoso central.
A espectroscopia por RM apresenta os seus resultados em um gráfico que mostra a distribuição dos sinais de hidrogênios ligados às moléculas dos metabólitos cerebrais.
Exame que é aplicado na busca do diagnóstico de patologias como o mal de Alzheimer, a esclerose múltipla, a Aids e tumores que alteram as concentrações dessas substâncias no tecido nervoso.


Análise de espectroscopia por RM. 


Seleção da área de interesse para o estudo. 



Gráfico, mapeamento das concentrações dos metabólitos. 

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Câmara dos Deputados aprova a regulamentação dos tecnólogos

Este fato representa o primeiro grande avanço na luta dos tecnólogos pelo reconhecimento oficial de suas atribuições e competências no mercado de trabalho, um grande passo para que todos os direitos relacionados à esta classe profissional sejam garantidos por uma lei específica. 
O PL nº. 2.245/2007, que regulamenta a profissão de tecnólogo em todas as áreas, foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. A profissão de Tecnólogo em Radiologia, brevemente será regulamentada pelo PL nº. 3.661/2012. 
A matéria está indo para votação no Senado, cabe agora a nós tecnólogos unirmos e buscarmos a aprovação imediata dos senadores, através de abaixo-assinados ou no apelo por e-mails para cada um dos parlamentares para que esta pauta seja concluída com sucesso em Brasília.

Acompanhe na íntegra o PL nº. 3.661/2012: 

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=540959

quarta-feira, 27 de março de 2013

A biologia molecular no tratamento do câncer

Pesquisas na área da biologia molecular estão permitindo a descoberta de drogas mais eficazes e com menos efeitos colaterais para o tratamento do câncer. 
Drogas com a capacidade de impedir o crescimento dos vasos sanguíneos que nutrem o tecido tumoral estão sendo testadas com bons resultados em animais.
A Biologia Molecular permite o estudo dos aspectos biológicos das células neoplásicas, realiza pesquisas  que buscam evidenciar a diferenciação das características das células normais e malignas em um organismo. É possível, também, a análise das alterações causadas pela carcinogênese nos diversos tecidos do corpo. 
Área que já é aplicada em pesquisas de avaliação dos modelos biológicos do câncer de pulmão e mama. É uma das ferramentas importantes na busca da cura do câncer.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A Telerradiologia

A Telemedicina é uma modalidade que apresenta um grande crescimento no Brasil nos últimos anos, aplicando modernas tecnologias de informação tem possibilitado, através do intercâmbio da informação, inúmeras novas abordagens na atividade médica.
Esta modalidade permite que profissionais e estudantes de saúde realizem intercâmbio de conhecimento por meio de tecnologias avançadas de informação e comunicação. Através de videoconferências é possível realizar atividades de pesquisa e educação continuada e também avaliações remotas de exames e casos clínicos. 
No Brasil, esta modalidade está sistematizada pelo Programa de Telessaúde e Redes, coordenado pelo Ministério da Saúde, que utiliza tecnologia para promover teleassistência, teleconsultoria e a teleducação do Sistema Único de Saúde - SUS. 
A Radiologia é uma das especialidades médicas com maior capacidade de beneficiar-se das aplicações da telemedicina. Atividades como o diagnóstico e a segunda opinião médica à distância - telediagnóstico e a teleconsultoria, ou ainda a disponibilização de imagens e resultados de exames através da internet têm se tornado práticas cada vez mais comuns atualmente.
A Telerradiologia traz uma forte tendência à transformação de documentos clínicos, como os resultados de exames, que até hoje existem na forma de filmes impressos e laudos escritos em papel em documentos eletrônicos disponibilizados em redes internas de clínicas, hospitais e na internet por meio das redes PACS e DICOM.

A Telerradiologia: tecnologia revolucionando os métodos de diagnóstico por imagens.

Uma das principais vantagens da Telerradiologia é a possibilidade de vencer distâncias por meio da transmissão de imagens e laudos, levando a opinião do radiologista a locais distantes dos centros, onde uma parcela considerável da população brasileira encontra-se desassistida pela especialidade.

Ilustração do funcionamento e sistematização de um serviço de Telemedicina e seu suporte tecnológico. 


Fonte: Saúde Web - com adaptações. 

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Os Raios T

As ondas eletromagnéticas enviadas nas frequências do terahertz são conhecidas como raios T. Elas estão na região do espectro eletromagnético entre os 300 giga-hertz e os 3 tera-hertz e possuem comprimentos de onda muito pequenos que vão de 1000 a 100 micrômetros,  situadas na região espectral entre as faixas de microondas e o infravermelho.

Os raios T na região espectral entre microondas e o infravermelho.

É um tipo de radiação não ionizante ainda muito desconhecida que é capaz de atravessar roupas, papel, cartão, madeira, plástico e cerâmicas. A radiação terahertz apresenta uma capacidade de alcance baixa ao interagir com a matéria, vem sendo estudada a hipótese nos últimos anos de sua aplicação na obtenção de imagens e na detecção e análise de elementos químicos de células biológicas.
As aplicações da radiação terahertz estão limitadas pela dificuldade de se focalizar feixes de raios T, os cientistas já descobriram como controlar esse tipo de emissão e a expectativa é que essa radiação poderá revolucionar as técnicas de diagnóstico por imagem no futuro.
A radiação terahertz ao interagir com a matéria permite, ao mesmo tempo, a análise de materiais quanto à sua estrutura molecular e sua composição química. Na interação os raios T agem como as nossas impressões digitais: "impressão digital da molécula ou do material analisado".
Essa descoberta poderá permitir o estudo do interior das células com alta resolução, detectando possíveis anormalidades e patologias. Outra possível aplicação no futuro será a de utilizar raios T em procedimentos médicos como a endoscopia e na detecção de células cancerosas.



Fonte: Revista CONTER - com adaptações.